As crianças e os hábitos alimentares

por Pediatra Teresinha Souto

Crianças comem o que sua família acha que deve comer e oferece, certo? Pois bem, como pediatra, há anos que oriento para que não se ofereçam alimentos ricos em açúcares nos primeiros 2 anos de vida; pelo menos no primeiro ano. 

Tudo fácil quando a questão é sobre suco de laranja que já é docinho, certo? Mas quando comento sobre os outros sucos como de limão e maracujá o que acontece? ” Ah, pobrezinho… Ele não vai conseguir tomar sem um pouco de açúcar!”

Quando, após um ano de idade, sugiro oferecer iogurte natural sem açúcar, os comentários de espanto são os mesmos: “Ele não vai conseguir…”.

Depois logo vêm as perguntas: “Quando podemos iniciar o danoninho ? E os doces?” Mas biscoitinho de polvilho ou de maizena pode né? E vai colocar o que no leite? Puro não dá , né? E as bisnaguinhas?”

Pois é, parece até que  se tem pressa de oferecer toda a sorte de alimentos industrializados e é muito “estranho” oferecer alimentos naturais não adoçados. Como se as crianças não fossem logo “apresentadas” a todo tipo de “junk food” assim que entram na escola.

ts - habitos alimentares 2Na verdade, quando a família quer introduzir hábitos saudáveis, ela o faz sem maiores problemas.  Tenho um exemplo recente na família: um lindo  (e bem pesadinho) sobrinho adotivo que chegou com um ano e meio e que tomava mamadeira com “engrossante” e açúcar, além de sucos sempre adoçados e toda a sorte de carboidratos. A mamadeira foi imediatamente trocada para leite integral puro, aceitou muito bem limonada sem açúcar e iogurte caseiro. Tudo isso em menos de uma semana!

Exceção? Talvez, mas hábitos na mais tenra idade com certeza são mais fáceis de sedimentar – para o bem e para o mal – e temos a obrigação de fazer o nosso melhor.

Vejam abaixo as diretrizes da SBP (Sociedade Brasileira de Pediatria), as quais não diferem muito do que costumamos  comentar  no “Comida de Verdade”.

Se a maioria das pessoas seguissem essas orientações básicas (que não são nenhuma  novidade), não teríamos tanta obesidade infantil, não é mesmo?

­

“10 passos para a saúde

Departamento de Pediatria Ambulatorial da SBP

A alimentação da criança desde o nascimento e nos primeiros anos de vida terá repercussão ao longo de toda a sua vida. Uma alimentação saudável inicia com o aleitamento materno, que sozinho já é capaz de nutrir a criança com tudo o que ela precisa nos primeiros seis meses de vida. A partir do sexto mês, devem ser introduzidos novos alimentos, mas o peito deve ser mantido pelo menos até os dois anos.

10 passos da alimentação saudável

∙ Passo 1: dar somente leite materno até os seis meses, sem oferecer água, chás ou qualquer outro alimento.

∙ Passo 2: a partir dos seis meses, oferecer de forma lenta e gradual outros alimentos, mantendo o leite materno até os dois anos de idade ou mais.

∙ Passo 3: a partir dos seis meses, dar alimentos complementares (cereais, tubérculos, carnes, verduras, frutas e legumes) três vezes ao dia se a criança receber leite materno e cinco vezes ao dia se estiver desmamada.

∙ Passo 4: a alimentação complementar deve ser oferecida sem rigidez de horários, respeitando-­se sempre a vontade da criança.

∙ Passo 5: a alimentação complementar deve ser espessa desde o início e oferecida de colher, começando com consistência pastosa (papas/purês) e, gradativamente, aumentando essa consistência até chegar à alimentação da família.

∙ Passo 6: oferecer à criança diferentes alimentos ao longo do dia. Uma alimentação variada é uma alimentação colorida.

∙ Passo 7: estimular o consumo diário de frutas, verduras e legumes nas refeições.

∙ Passo 8: evitar açúcar, café, enlatados, frituras, refrigerantes, balas, salgadinhos e outras guloseimas, nos primeiros anos de vida. Usar sal com moderação.

∙ Passo 9: cuidar da higiene no preparo e manuseio dos alimentos; garantir o seu armazenamento e conservação adequada.

∙ Passo 10: estimular a criança doente e convalescente a se alimentar, oferecendo sua alimentação habitual e seus preferidos, respeitando sua aceitação.”

 

Print Friendly, PDF & Email

Um comentário em “As crianças e os hábitos alimentares

  • 7 de março de 2017 em 11:17 AM
    Permalink

    Dra. Terezinha
    Preciso muito da sua ajuda
    Meu filho tem 2 a e meio e começou a ir para a escolinha. Eu preparo os lanchinhos dele toda manhã, usando 100 de comida de verdade em todos os preparos. Agora fiquei sabendo que na escola fazem toda sexta feira o dia da GULOSEIMA! Onde crianças da idade do meu filho ou menos consomem REFRIGERANTE, SALGADINHO DE PACOTE, DOCES E TUDO MAIS! E assim… EU NÃO RECEBI AUTORIZAÇÃO PARA QUE ELES DÊEM ESTE TIPO DE “ALIMENTO”. Preciso de ajuda urgente para que eu possa fazer a intervenção junto à escola!
    Desde já agradeço
    Lysandra, mamãe do Valentín.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *